O Que é o NONI (Morinda citrifolia L.,)

Noni é o nome comum para Morinda citrifolia L., uma Árvore da família das Rubiáceas, prima distante do café.

Morinda citrifolia L., normalmente conhecida por noni (da língua havaiana), nono Taiti, aal (na língua hindi), é uma pequena árvore da família das rubiaceae.

A Morinda citrifolia L. é originária do sudeste asiático, tendo sido difundida pelo homem através da Ásia Meridional, ilhas do Oceano Pacífico, Polinésia Francesa, Porto Rico e mais recentemente a República Dominicana. O Taiti continua a ser o local de maior cultivo.

O Noni é nativo do sudeste da Ásia, uma planta típica das ilhas da Polinésia e do Havaí, encontra-se em antigos textos medicinais da Ayurveda e Siddha com mais de 2000 anos, sendo considerada uma das mais importantes plantas medicinais destas regiões.

Suas folhas são verde-escuras e grandes. Suas pequenas flores brancas se desenvolvem em pequenos glóbulos fundidos "cabeças" para formar uma inflorescência a "cabeça" da flor aumenta lentamente de tamanho durante o período de floração e mais rapidamente quando a floração esta concluída. Antes da última flor desabrochar, um pequeno fruto de uma cor verde brilhante, ficando com uma cor de tom amarelado a incolor quando madura, contendo muitas sementes o fruto maduro é comestível, mas não muito saboroso, de cheiro forte e marcante a fruta tem um gosto único e muito peculiar.

As culturas tradicionais por muito tempo têm usado a fruta, descascam-na, as folhas, e as raízes da fruta do Noni. Usaram-na como o alimento, a medicina, e a tintura. A árvore do Noni é nativa do Sudeste Asiático, mas igualmente cresce na Índia e nas ilhas do Pacífico, e até Nova Zelândia, Austrália, e América do Sul.

Diz-se que os insulares polinésios primeiramente cultivaram e domesticaram a árvore do Noni há mais de 2.000 anos. Usaram as folhas e a fruta como uma medicina tópica, aplicando às fervuras em lesões e outras doenças da pele.

As várias culturas usaram a fruta como o alimento da fome, rebanhos animais alimentam, medicina tópica e interna, e tintura. Os povos da China, Japão, Havaí usaram o Noni para tratar a febre, assim como problemas com os olhos, a pele, as gotas, a garganta, o estômago, a digestão, e a respiração. Na Malásia e nas Filipinas, as folhas foram usadas para aliviar a tosse, a náusea, a cólica menstrual e a artrite. Na Indonésia, a fruta foi comida para a asma, lombalgia e a disenteria.

A árvore do Noni, e mais especificamente sua fruta, foram estudadas cientificamente por décadas. Em 1972, um cientista de nome Stewart relatou que os Havainos nativos resolvem muitos de seus problemas médicos bebendo o suco da fruta do Noni.

A Universidade do Havaí nomeou o professor bioquímico Dr. Ralph. M. Heinicke, tratando sobre a idéia do sistema xeronina e começou um estudo de 20 anos das propriedades da fruta do Noni. Nos anos 90, quando pronunciou a existência de uma molécula desconhecida responsável para o valor da saúde dos seres humanos e animais, os povos começaram a prestar mais atenção à fruta. Uma companhia americana do mercado multi-level chamada Morinda iniciou a fabricação de produtos para o mercado feitos da fruta do Noni. Desde então, a demanda para a fruta aumentou dramaticamente.

 

  

 

 

         

      

  

 

https://brasilianoni.blogspot.com/2010/10/noni-o-fruto-sagrado-da-polinesia.html